Meena Keshwar Kamal

11 de nov de 2010 Postado por Fernando
Você gostaria de indicar uma próxima toonada?
Comente aqui ou escreva para: fer.souza.mail@gmail.com

Eu abri as portas fechadas da ignorãncia
Eu disse adeus à todos braceletes dourados

Ah, compatriota, eu não sou mais o que eu era

Eu sou uma mulher que despertou
Eu encontrei meu caminho e jamais retornarei.

- Meena Keshwar Kamal


Uma das principais características do regime fundamentalista islâmico, conhecido como Taliban, é o tratamento especial que dá as mulheres. Segundo a ideologia desse grupo, a mulher em si é um símbolo da corrupção. Todo tipo de imagem feminina é associada a falta de dignidade e a perversão sexual. Por conta desse conceito cultural, as mulheres são submetidas à rígidas regras a partir dos 8 anos de idade como: deixar de estudar, cobrir todo o rosto e corpo com a burka, não poder trabalhar nem falar em público. Elas não podem nem sequer usar salto alto pois o som dos seus passos pode excitar os homens. A violação dessas regras acarretam punições que variam de encarceramento e humilhação pública à torturas violentas e execução sumária em caso de crimes mais graves.


Em 1977, época em que o Afeganistão estava ocupado pela União Soviética, uma jovem de 20 anos teve uma idéia: resgatar a democracia e igualdade entre homens e mulheres, a justiça social e a separação entre a religião e os assuntos do Estado. Meena Keshwar Kamal fundou em Kabul a RAWA (Associação Revolucionária das Mulheres do Afeganistão), um grupo de estratégias não violentas que visava unir as mulheres em prol do ideal libertador. Indo além, ela também lançou uma revista feminina e fundou uma escola para crianças e mães refugiadas, oferecendo hospitalização e iniciação profissional (tudo secreto). Como se não bastasse, ela também iniciou uma campanha contra a invasão Soviética. A luta de Meena durou 10 anos até que ela foi sequestrada e assassinada, tendo apenas 31 anos de idade.


Uma derrota? Longe disso. A semente que ela plantou e regou com seu próprio sangue floresceu e vive até hoje. A RAWA continuou firme e forte formando alunos em escolas secretas de enfermagem e artesanato e após a invasão dos EUA em 2001 e a queda da força do Taliban, a
associação se tornou mais aberta e hoje presta importante auxílio às questões dos direitos das mulheres, fundando novas escolas, denunciando abusos e promovendo ações sociais em parceria com o movimento feminista islâmico. Conheça o site da RAWA.

Curiosidade:
Antes da invasão americana, umas das maiores proezas da RAWA foram as filmagens secretas da violência da polícia religiosa que espancava e matava mulheres publicamente. Se você for maior de 18 anos, confira as gravações aqui e aqui.


Fontes: wikipedia.org, www.rawa.org

2 Response to "Meena Keshwar Kamal"

  1. tonhOliveira Says:



    Morreu MEEniNA - 31 anos!

    Com todo respeito: foi uma bela MEENA!

    :)

  2. Fernando Says:

    Tonho: Exato! Com todo esse potencial, morreu bem MEEniNa. Certíssimo. E concordo... ela era muito bela. E olha que coisa triste. Seu marido também foi assassinado e seus 3 filhos estão desaparecidos... =(

Postar um comentário

BlogBlogs.Com.Br